Desde o lançamento do primeiro filme da franquia Meu Malvado Favorito em 2010, os personagens amarelos e engraçados caíram no gosto do público. Com o sucesso de bilheteria e a adoração das crianças, os filmes passaram a ser um fenômeno mundial.

No entanto, recentemente algumas imagens pornográficas dos personagens circularam pela internet, estampando sites e redes sociais. As imagens mostravam os personagens principais, Gru e os Minions, em cenas explícitas de sexo.

A polêmica começou a ganhar força rapidamente, gerando reações diversas dos fãs e dos responsáveis pelos filmes. A produção ficou ainda mais irritada com a divulgação das imagens quando descobriu que elas haviam sido criadas pelo próprio estúdio Illumination, responsável pela animação.

Rapidamente, a Illumination e a Universal Pictures divulgaram uma nota oficial repudiando as imagens, afirmando que não tinham qualquer relação com elas e que estavam tomando providências para que fossem retiradas da internet.

No entanto, algumas perguntas ficaram no ar: como essas imagens foram produzidas? Por que a Illumination criaria algo tão polêmico envolvendo personagens infantis?

Segundo algumas fontes, as imagens foram criadas por um grupo de funcionários da Illumination como uma brincadeira interna da equipe. No entanto, a situação saiu do controle quando alguém enviou as imagens para outros estúdios e a partir daí elas se espalharam na internet.

De qualquer forma, a situação causou grande constrangimento para a produção de Meu Malvado Favorito e trouxe à tona a questão do limite entre a liberdade criativa e o bom senso. Além disso, a polêmica pode ter afetado a imagem dos filmes e dos personagens, que são queridos pelas crianças.

Em resumo, as imagens polêmicas que circularam pela internet envolvendo o universo de Meu Malvado Favorito foram uma criação interna da equipe da Illumination que se espalhou sem autorização. Tanto a Illumination quanto a Universal Pictures se posicionaram contra as imagens e tomaram providências para que fossem retiradas da internet. No entanto, a situação trouxe à tona a questão do bom senso e da responsabilidade criativa.